Ginasta norte-americana acusa comitê de ter pago propina para esconder abuso sexual sofrido aos 13 anos


mckayla-maroney
Ginasta norte-americana acusa comitê de ter pago propina para esconder abuso sexual sofrido aos 13 anos
PUBLICIDADE

Em outubro de 2017, McKayla Maroney, atualmente com 22 anos, usou o Twitter para denunciar o ex-médico da seleção de Ginástica dos Estados Unidos, Larry Nassar, por abuso sexual. Ainda segundo a denuncia da jovem atleta, os abusos teriam começado quando ela tinha apenas 13 anos. Na época, o time nacional de ginástica dos Estados Unidos declarou apoio a atleta publicamente, engrandecendo sua “coragem” em denunciar.

No entanto, Maroney agora acusa o time de ter tentado comprar seu silêncio através de um acordo de confidencialidade. O acordo previa o pagamento de 1,25 milhão de dólares, valor que também seria gasto com o tratamento psicológico do qual ela precisava. O advogado da atleta,  John Manly, classificou a proposta de acordo como “hipócrita, imoral e ilegal”.

O advogado ainda deu detalhes do conteúdo do texto, afirmando que Maroney estaria proibida de conversar até com seus irmãos e irmãs sobre o que viveu, e mesmo com um eventual marido ela não poderia conversar sobre os repetidos estupros aos quais foi submetida. Mesmo tendo quebrado o acordo com sua denuncia no twitter, o advogado da atleta não acredita em um contra-ataque.

Além do time nacional, o processo movido por Maroney também tem como réus o Comitê Olímpico dos Estados Unidos e a Universidade de Michigan. Nasser se declarou culpado de sete das mais de 20 acusações de “conduta sexual criminosa”. Ele também responde por pornografia infantil.

PUBLICIDADE

Faça um Comentário

log in

reset password

Back to
log in